wine-spectator-guia-de-pontuacao

O mundo de Wine Spectator e seus mais de 200 mil vinhos avaliados

Conheça a história e os métodos de avaliação da Wine Spectator, uma escala de pontuações de vinhos com muita credibilidade que já está há mais de 40 anos no mercado.

A revista Wine Spectator (WS) é uma publicação mensal que, além de suas edições normais, ainda conta com cerca de três especiais ao longo do ano. Especializada em notas de degustação e no mercado do vinho, assim como tudo que o envolve, como vinícolas e até as personalidades do ramo. Os editores da revista avaliam mais de 15 mil vinhos por ano em degustações às cegas e cada edição traz entre 400 e 1.000 avaliações.

Todos os anos, em novembro, são anunciados os Top 100 Vinhos e os Vinhos do Ano pela WS, publicados na edição mais aguardada pelos cerca de três milhões de leitores da revista.

O site da publicação, o WineSpectator.com, foi lançado em 1996 e hoje hospeda mais de 250 mil notas de degustação e avaliações de rótulos. Este fato torna o site da WS uma das fontes mais completas de informação sobre vinho no mundo digital.

Desde 1976, data da publicação da primeira edição da revista, os críticos da Wine Spectator acumularam experiência. Para se ter uma ideia, se as experiências com vitivinicultura individual de cada um dos oito editores seniores da revista fossem somadas, o resultado seria mais de 125 anos de aprendizado e degustações.

Conheça os editores seniores mais importantes da Wine Spectator

James Laube é um dos editores seniores da WS. Ele escreve para a empresa desde 1980 e é especialista em vinhos californianos. Ganhou o prêmio de melhor livro sobre vinho do ano de 1999 com a sua obra Californian Wine.

O editor chefe da revista, Kim Marcus, degusta vinhos da Áustria, Grécia, Portugal e do sul da França desde 1990. Ele entrou na equipe de São Francisco três anos antes, mas só em 1990 foi transferido para a matriz da empresa em Nova Iorque.

Já o editor executivo, Thomas Matthews, começou a escrever para a Wine Spectator como freelancer, enquanto ainda morava em Bordeaux. Rapidamente foi contratado como jornalista e degustador em tempo integral, e transferido para o escritório de Londres para, em seguida, chegar a Nova Iorque.

Como funciona o método de avaliação da Wine Spectator

A WS realizou alguns estudos que comprovaram que o julgamento de um vinho pode ser muito influenciado por variáveis como preço, marca e origem. Por isso, a Wine Spectator faz suas degustações sempre às cegas, de forma que nenhum crítico seja “contaminado” pela aparência do rótulo ou procedência da garrafa. Todas as anotações produzidas durante que não foram feitas às cegas são especificadas nas notas de degustação.

Além disso, a empresa faz questão de ter independência financeira. Isso significa que nenhum membro da equipe da Wine Spectator tem permissão para ganhar presentes e bonificações relacionadas ao mundo do vinho. Os membros são obrigados a aceitar um termo de compromisso e ética que garante que as avaliações serão feitas seguindo princípios verdadeiros, o que contribui para evitar opiniões tendenciosas.

Entenda como funciona a escala de pontuação da Wine Spectator

Na escala Wine Spectator um vinho pode receber notas de 50 até 100 pontos. Vinhos avaliados em mais de 90 pontos são de qualidade acima da média, enquanto 100 pontos significam que o vinho é único, perfeito e sem falhas.

Também é possível que os vinhos sejam avaliados como ordinários ou ruins, com menos de 79 pontos. Confira abaixo exatamente o que as pontuações significam:

  • 95 – 100 pontos: um vinho incrível, sem falhas e prazeroso.
  • 90 – 94 pontos: vinho excelente, com qualidade superior ao esperado.
  • 85 – 89 pontos: bom, possui qualidades muito interessantes e o vinho tem potencial.
  • 80 – 84 pontos: vinho bem feito.
  • 75 – 79 pontos: satisfatório, com falhas pequenas.
  • 50 – 74 pontos: não recomendado.

Indicações de rótulos de vinho que ganharam 90 pontos pela Wine Spectator

A Grand Cru possui em seu portfólio apenas vinhos que ganharam, no mínimo, 90 pontos pela equipe da Wine Spectator. Abaixo vamos indicar dois rótulos muito bem avaliados pela equipe da publicação: o chileno Matetic EQ Syrah 2011 e o italiano Mazzei Ser Lapo Chianti Classico 2011.

Vinho Tinto Matetic EQ Syrah 2011

Um grande Syrah chileno que encarna todo o potencial da casta, esse premiadíssimo vinho  recebeu 90 pontos pela Wine Spectator, 92 pelo Robert Parker e 93 pontos pelo Guia Descorchados, especializado na América do Sul.

Para a publicação, esse rótulo é “poderoso, com um aroma defumado e sabores concentrados de ameixa tostada, mocha e cereja azeda com toques de romã. Nota-se um toque mineral e de ardósia, com uma finalização apimentada. para beber até 2018”.

vinho-tinto-matetic-eq-syrah-2011-750-ml

Vinho Tinto Matetic EQ Syrah 2011 750 mL

Vinho Tinto Mazzei Ser Lapo Chianti Classico DOCG Riserva 2011

O Mazzei Ser Lapo Chianti Classico é um Supertoscano feito com a uva italiana Sangiovese e outras variedades. Ganhou 90 pontos da Wine Spectator e 90 da Wine Enthusiast. Harmoniza muito bem com molhos ricos e picantes e carnes vermelhas grelhadas.

Segundo a Wine Spctator: “um tinto exótico, que oferece aromas de violetas, groselha negra e fruta silvestre e sabores equilibrados para uma estrutura rica e densa. Permanece fresco e tem final persistente. Seu auge é entre 2016 e 2022. Foram produzidas apenas 8.333 caixas”.

Vinho Tinto Mazzei Ser Lapo Chianti Classico DOCG Riserva 2011 750 mL

Vinho Tinto Mazzei Ser Lapo Chianti Classico DOCG Riserva 2011 750 mL

vinciola-altair-chile-vinho

Altaïr: um Grand Cru de Saint-Émilion no Chile

Conhecida por produzir vinhos inspirados no estilo bordalês em solo sul-americano, a vinícola chilena Altaïr recebeu o título Viña del Nuevo Mundo pela Associação de Vinhos do Chile. Confira a história de sucesso do Grupo San Pedro, um dos maiores do país.

O nome da vinícola Altaïr foi emprestado da estrela mais brilhante da constelação Aquila. O corpo celeste pode ser visto de todo o planeta Terra, tanto no hemisfério sul quanto no hemisfério norte.

Justamente por essa característica, a vinícola foi batizada com seu nome: é a tentativa de unir o Novo Mundo e o Velho Mundo em um único terroir.

Conheça a história da Viña Altaïr

No ano de 2001, o Grupo San Pedro, segunda maior associação de vinícolas chilenas, uniu-se ao Château Dassault, localizada em Saint-Émilion, em Bordeaux. O objetivo? Produzir um vinho que lembre um “Grand Cru de Bordeaux”, mas em um terroir chileno e com corte diferenciado.

A escolha da localização do vinhedo foi meticulosa: para mapear a composição geológica da região foi utilizado o método de nome espanhol “calicatas”, poços que são cavados na terra e que permitem um estudo aprofundado do solo. Esse tipo de mapeamento é ideal para o cultivo de diferentes tipos de castas, pois permite o conhecimento dos melhores locais para cada uva.

Como resultado desse estudo nasceu, no Vale do Cachapoal, mais precisamente no Alto Cachapoal, a Viña Altaïr.

A parceria entre as vinícolas durou até 2007, quando a equipe francesa vendeu a sua parte ao Grupo San Pedro, que assumiu 100% do compromisso de produzir vinhos de altíssima qualidade.

altair-sideral-san-pedro-vinos-chile

O clima e o terroir do Vale do Cachapoal

O Vale do Cachapoal fica aos pés da Cordilheira dos Andes e tem de 600 a 800 metros de altitude. O clima no local é mediterrânico, o que acontece devido aos ventos frios e secos provenientes dos Andes e possui grande amplitude térmica (diferença entre as temperaturas médias do dia e da noite). A atmosfera local recebe bem menos influência do oceano, e é seca e livre de poluição.

O solo do Vale do Cachapoal é composto majoritariamente por argila e calcário, além de algumas áreas vulcânicas e também de areia. O calcário proporciona boa drenagem de água, assim como a areia, mas pode retardar um pouco o processo de amadurecimento das uvas, produzindo vinhos mais ácidos. A argila, por sua vez, é um tipo de composição que ajuda a conservar a umidade do solo, além de favorecer o aprofundamento das raízes.

A soma dessas características resulta na produção de uvas bastante concentradas, com frescor e maturação lenta, e taninos mais macios e elegantes. Cerca de 75% da região é dedicada ao cultivo de uvas Cabernet Sauvignon, mas também são plantadas outras variedades, como Syrah, Carménère, Cabernet Franc e Petit Verdot.

Considerando as características do clima e do solo e acrescentando procedimentos de irrigação, o Vale do Cachapoal está sendo considerado o lugar perfeito para o cultivo de uvas viníferas no Chile.

altair-san-pedro-vinhos-sideral-chile

Altaïr, conheça o principal vinho de San Pedro

Protagonista da linha Grandes Vinos de San Pedro, o Altaïr Tinto é resultado da mistura de quatro diferentes castas. Dependendo do clima em que foi cultivada, cada cepa tem um comportamento específico, de forma que a porcentagem de cada casta dentro do vinho pode variar de safra para safra.

A safra de 2010 foi premiadíssima, e conquistou 90 pontos pela Wine Advocate, 95 pontos pelo Guia Descorchados e 90 pela escala Robert Parker.

Vinho Tinto Altaïr

Vinho Tinto Altaïr Sideral 2013 750 mL

Conheça o Sideral, um dos vinhos mais criativos do Chile

O vinho tinto Sideral é vivo e moderno. Com ousadia em sua produção, o enólogo Gonzalo Castro, responsável pelo rótulo, trouxe as mesmas castas de Altaïr (Cabernet Sauvignon, Carménère, Syrah e Cabernet Franc), acrescentando uma pequena porcentagem de Petit Verdot ao blend.

Vinho Tinto Sideral

Vinho Tinto Altaïr Sideral 2013 750 mL

o-julgamento-de-paris-filme-vinho

6 filmes que são uma delícia para assistir tomando vinho

Tem programa mais gostoso do que fazer uma sessão de cinema em casa? Para ajudar você a programar suas noites de final de semana, a Grand Cru preparou uma lista com filmes sobre vinho para você assistir com uma taça na mão. Confira nossa seleção!

1. Sideways – Entre umas e outras (2004)

Fonte: IMDB.

Dirigido por Alexander Payne, este é um dos filmes favoritos dos amantes de vinho. A história é sobre dois homens de meia idade que embarcam numa “road trip” para uma despedida de solteiro pelas vinícolas da Califórnia. O mais interessante do filme é que o nome em portugês “entre umas e outras” refere-se à Merlot e Pinot Noir, numa briga constante durante a viagem.

Sideways é o primeiro da nossa lista porque, além de muito engraçado e filmado em paisagens estonteantes de Napa Valley, ressalta a beleza e elegância da casta Pinot Noir, a uva vinífera favorita do protagonista estrelado por Paul Giamatti. O que impactou que esse filme gerou mercado de vinhos dos Estados Unidos foi tão grande: hoje a casta é a mais cultivada da região.

Para assistir o filme Sideways, a Grand Cru não poderia indica outro rótulo senão o vinho tinto Vinho Tinto Redtree Pinot Noir, um típico californiano!

Vinho Tinto Redtree Pinot Noir 2013 750 mL

Vinho Tinto Redtree Pinot Noir 2013 750 mL

2. O Julgamento de Paris (2008)

o-julgamento-de-paris-filme-vinho

Fonte: IMDB.

Este filme retrata a histórica prova de degustação às cegas conduzida por Steven Spurrier em Paris no ano de 1976. O objetivo de Spurrier era mostrar aos colegas sommeliérs o que estava acontecendo no mundo dos vinhos californianos, por isso propôs a degustação com rótulos de Bordeaux e, em segredo, da Califórnia.

A degustação foi um desastre, foram pouquíssimas pessoas (menos de 20, incluindo os garçons) que compareceram e o evento teve que terminar mais cedo para liberar o salão, que seria arrumado para uma festa de casamento.

Dentre inúmeros vinhos degustados às cegas, os colegas de Steven Spurrier elogiaram os rótulos californianos como se a safra de “Bordeaux” tivesse sido excepcional. Foi aí que descobriram que, na verdade, tinham acabado de degustar exemplares da Califórnia.

Esta degustação ficou conhecida mundialmente porque à época os vinhos franceses eram tidos como os melhores do mundo.

Estrelado por Alan Rickman, Bill Pullman e Chris Pine, O Julgamento de Paris é dirigido por Randall Miller e está disponível na Netflix.

Assistir um filme desses dá muita vontade de tomar um vinho californiano. Por isso, indicamos Redtree Petite Sirah para acompanhar a sessão.

Para entrar no clima, indicamos o vinho tinto francês Vinho Tinto Marquis de Bordeaux Rouge 2012.

Vinho Tinto Marquis de Bordeaux Rouge 2012 750 mL

Vinho Tinto Marquis de Bordeaux Rouge 2012 750 mL

3. Um Bom Ano (2006)

Fonte: IMDB.

Fonte: IMDB.

Russell Crow representa um ambicioso financista inglês que recebe como herança um château em Provença. Enquanto tenta reformar a propriedade para que ela seja vendida, o personagem descobre um estilo de vida muito diferente do que estava acostumado.

O diretor Ridely Scot conseguiu mostrar neste filme muito bem como é o dia a dia de quem vive rodeado por vinícolas.

Assista Um Bom Ano com um vinho de Provença nas mãos, como o Vinho Rosé Berne les Oliviers Côtes de Provence.

 Vinho Rose Berne Les Oliviers Cotes de Provence 2015 750 mL


Vinho Rose Berne Les Oliviers Cotes de Provence 2015 750 mL

4. Caminhando nas Nuvens (1995)

Fonte: IMDB.

Fonte: IMDB.

Keanu Reeves atua como um ex-combatente da Segunda Guerra Mundial que finge ser o marido de uma jovem grávida para que ela não tenha problemas com a fúria do pai. A família da moça é proprietária de vinhedos e por isso filme se passa em uma vinícola californiana.

Para acompanhar o filme, a Grand Cru indica o vinho tinto Dominus Estate Napa Valley.

Vinho Tinto Dominus Estate Napa Valley 2010 750 mL

Vinho Tinto Dominus Estate Napa Valley 2010 750 mL

5. O Segredo de Santa Vitória (1969)

Fonte: IMDB.

Fonte: IMDB.

Mais um filme histórico em que o enredo se passa no fim da Segunda Guerra Mundial. Mussolini foi deposto e agora a cidade de Santa Vitória ganha um novo prefeito, o bêbado da cidade, interpretado por Anthony Quinn. Com este acontecimento, os habitantes da pequena cidade passam a esconder seu melhor produto dos nazistas, o vinho.

Que tal assistir ao filme com uma taça do vinho italiano da região? Experimente o Garofoli Monte Reale Sangiovese Marche.

Vinho Tinto Garofoli Monte Reale Sangiovese Marche IGT 2014 750 mL

Vinho Tinto Garofoli Monte Reale Sangiovese Marche IGT 2014 750 mL

6. Conto de Outono (1998)

Fonte: IMDB.

Fonte: IMDB.

Divertida comédia romântica sobre uma mulher produtora de vinhos no sul da França. Isabelle, a melhor amiga da francesa Magali, decide encontrar um marido para a colega e coloca um anúncio no jornal. Magali encontra o homem do anúncio logo depois de conhecer outro homem e se encontra em um triângulo amoroso.

Quer entrar no clima dos terroirs desse filme? Assista com o acompanhamento de
Vinho Tinto Domaine Galaman Rouge 2013.

Vinho Tinto Domaine Galaman Rouge 2013 750 mL

Vinho Tinto Domaine Galaman Rouge 2013 750 mL

Tem algum filme para adicionar na nossa lista? Compartilhe sua sugestão conosco nos comentários!

Carne Cruda Battuta Al Coltello

Receita: Carne Cruda Battuta Al Coltello

Carne cruda batutta al coltello é uma receita típica do Piemonte muito parecida ao steak tartare francês. Essa versão é assinada pelo chef Massimo Camia e está no livro Cucina d’autore – I grandi chef italiani interpretano la cucina regionale.

Rendimento: 6 pessoas | Tempo de Preparo: 15 min | Nível de Dificuldade: Fácil

Ingredientes

  • 600 g de alcatra de vitela
  • ¼ de suco de limão
  • 5 g de mostarda doce
  • 5 gotas de molho inglês
  • 5 g de pasta de anchova
  • 2 colheres de sopa de azeite extra-virgem
  • sal e pimenta

Modo de preparo

Comece cortando a carne em tiras e, em seguida, pique em cubos muito pequenos. Refrigere e deixe coberto. Prepare o molho em uma tigela, misturando o suco de limão, a mostarda, o molho inglês, a pasta de anchova, a pimenta moída na hora e uma pitada de sal (a receita original sugere o uso de grande terreno no sal de argamassa). Em torno de dez minutos antes de servir, tempere a carne e mexa com cuidado. Sirva em porções individuais, criando uma forma suave, com a ajuda de uma forma redonda ou anéis de pastelaria quadrados.

Harmoniza com: vinho tinto bem estruturado, como este Barbaresco (principalmente por ser típico da região do Piemonte, assim com a receita, o que chamamos de “harmonizações românticas”!).

itbar0115a12

Vinho Tinto Produttori dei Barbaresco DOCG

 

Alcachofra Gratinada

Receita: Alcachofras gratinadas

Alcachofra gratinadas feita pelo chef Zico Garcez do bar do Pachá em Curitiba.

Rendimento: 4 pessoas | Tempo de Preparo: 10 min | Nível de Dificuldade: Fácil

Ingredientes

  • 8 unidades de alcachofra;
  • 80 gramas de catupiry;
  • 80 gramas de queijo gorgonzola;
  • 80 gramas de queijo emmental.

Modo de preparo

Corte a alcachofra um pouco acima da metade. Coloque o catupiry e, em seguida, o gorgonzola. Por último o queijo emmental. Leve ao forno preaquecido a 180° por 8 minutos e sirva.

Harmoniza com: vinhos rosés e vinhos brancos.

Nossa primeira indicação é o Vinho Rosé Berne Esprit di Mediterranée IGP 2015, um rosé refrescante e bastante gastronômico.

 Vinho Rosé Berne Esprit di Mediterrané 2015 750 mL

Vinho Rosé Berne Esprit di Mediterrané 2015 750 mL

Nossa segunda sugestão é o Circus Sauvignon Blanc 2015, um vinho branco leve que harmoniza muito bem com vegetais.

Vinho Branco Circus Sauvignon Blanc 2015 750 mL

Vinho Branco Circus Sauvignon Blanc 2015 750 mL