"We need glasses, baby", por Daniella Romano

Publicado em 18/05/2017

‘Quando começamos a nos interessar por um assunto novo, mergulhamos no seu universo, queremos saber tudo e aprender rapidamente. Não é diferente com o vinho. De repente, você descobre que além de entender dos vários tipos de vinho, precisará também entender sobre os vários modelos de taças. Pois é, já estava complicado escolher entre tantos tipos de vinhos, agora chegou a vez das taças!

Vale lembrar que qualquer recipiente que possa receber a bebida é um copo de vinho! Portanto, nada de pirar só porque exite (isso é verdade) uma taça especifica para cada tipo de vinho.

O que há de novo nos diferentes modelos de taça?

As taças produzidas nos dias de hoje carregam consigo muito estudo e tecnologia, foram produzidas para realçar determinadas qualidades daquele tipo de vinho e, assim, ao utilizá-las, podemos sorver o melhor dessa experiência.

Sabendo disso, você pode fazer as suas escolhas, mas sinceramente acho que também podemos simplificar as coisas nesse quesito. O mais importante na hora da escolha é selecionar copos transparentes, assim você pode apreciar as cores e nuances da bebida. As cores também dão dicas sobre a idade do vinho e o tipo da uva.

A taça deve ter uma haste (pé) longa que nos permita segurá-la sem tocar o bojo para, entre outras coisas, não esquentarmos o vinho.

Como escolher o modelo de taça?

Comece a escolha pelo material: que vai do vidro ao cristal. A diferença entre elas é o chumbo presente na composição. As de vidro não tem chumbo, as de cristal têm.

“Mas o que isso significa? Como influencia meu vinho?”, deve estar se perguntando. O chumbo* deixa o copo mais leve, com menor espessura e mais delicadeza, e isso reflete diretamente na bebida.

* Vale considerar que o chumbo é prejudicial à saúde, quando utilizado em grandes quantidades, no caso das taças é considerado seguro.

Dica de quais modelos de taça escolher

Se você está iniciando, minha dica é escolher uma taça básica para os vinhos tintos (1), outra para os vinhos brancos (2), que será um pouco menor, e uma para vinhos espumantes (3).

Dica: sirva 1/3 da taça com vinho, deixando o resto do espaço para ele respirar e liberar os aromas. Outra coisa que ajudará é o movimento giratório – ao agitar o copo, o vinho entra em contato com as paredes da taça e esse atrito também facilita a liberação.

Existe um modelo utilizado em degustações profissionais, a taça ISO, que tem um formato desenvolvido para realçar aromas de diferentes bebidas. Ela poderá substituir os outros modelos, porém seu formato é um pouco menor.

Como lavar as suas taças da maneira correta

Seja qual for o modelo escolhido, você deve lavá-las muito bem com água morna e uma gotinha de detergente (o sabão em excesso deixa resíduos que alteram as características do vinho), em seguida enxague com água em abundância e seque bem com um pano de micro fibra. Guarde em um lugar seco e fresco.

Boa degustação!

Cheers!

 

Daniella Romano percebeu que tinha olfato aguçado depois de se formar Sommelière pela Federação Italiana de Sommeliers, Hoteleiros e Restauradores no Piemonte. Decidiu seguir estudando os aromas do vinho e passou por instituições como Universidade de Davis e Université du Vin de Suze-la-Rousse. Pioneira no estudo e desenvolvimento das caixas de aromas do vinho no Brasil, é hoje referência no assunto e compartilha o seu conhecimento no The Wine Institute, entre as principais escolas de educação de vinho no mundo.

Esta matéria fala sobre: Primeiras taças!

Matérias relacionadas:

“First things first”, por Daniella Romano

Continue lendo

Mito ou verdade? As lorotas mais contadas do mundo do vinho

Continue lendo

Os diferentes tipos de taça, por Daniel Perches

Continue lendo

10 acessórios para vinhos que você precisa ter em casa

Continue lendo

Conheça os diferentes tipos de rolhas para garrafas de vinho

Continue lendo

Aprenda a lavar corretamente suas taças e decantadores de vinho!

Continue lendo