Os diferentes tipos de taça, por Daniel Perches

Publicado em 17/05/2017

Preciso ter taças com tamanhos diferentes em casa? Qual é a importância do formato da taça? O nosso colunista Daniel Perches responde às perguntas. Confira!

Você já deve ter visto em uma loja de vinhos, ou até na casa de alguém, um armário cheio de taças de tamanhos e formatos diferentes. É certamente muito bonito, e até decorativo. Mas essa variedade tem função, que é maximizar os aromas e sabores do vinho. E como os vinhos são diferentes, são necessários também formatos diferentes para que se cumpra essa função.

A altura do bojo, o maior e o menor diâmetro… É tudo pensado para que você tenha uma melhor concentração dos aromas e para que o vinho faça uma curva ao sair da taça e entrar na sua boca, atingindo o local certo das suas papilas gustativas. Se você não acredita que isso possa ser relevante, é fácil, é só fazer um teste. Pegue uma taça de vinho (qualquer modelo) e sirva um pouco nela.  Sirva a mesma quantidade em um copo de vidro comum, de beber água. Sinta os aromas e depois beba em um e depois no outro. Você notará que os aromas são diferentes e ao entrar na boca, o vinho atinge locais diferentes.

Mas não é preciso ter uma grande variedade de taças para poder aproveitar bem seus vinhos. Algumas têm formatos “curinga”, podendo ser usadas para vários tipos de vinho, sem necessidade de troca.

Para começar a sua coleção, o ideal é ter uma que seja alta, mas que não tenha um corpo tão grande. Assim você pode beber brancos e tintos nela. As de espumante, do tipo “flûte”, são mais específicas e valorizam o perlage (as bolhas), deixando um visual muito interessante. Com esses dois jogos você já pode fazer refeições completas.

Se quiser se aprofundar, pode comprar as taças menores, para vinhos fortificados. Como as doses são menores, a taça é proporcional.

Depois disso você pode ir além, comprando taças para vinhos brancos, para tipos específicos como Borgonhas e por aí vai. Mais ou menos como no vinho, as taças têm uma grande variedade, que se você tiver espaço (e dinheiro), vale a pena ir comprando aos poucos, apreciando cada item novo da coleção, mas lembrando que para começar, um bom jogo de taças grandes resolve bem a sua necessidade.

Até a próxima dica!

Um abraço

Daniel Perches

 

Foi ao atender a conta de uma vinícola na agência em que trabalhava que o publicitário Daniel Perches descobriu sua paixão por vinho. Foi aí que sentiu a necessidade de escrever sobre o tema (e estudar também!). Deixou a carreira de 10 anos de lado e passou a se dedicar exclusivamente a seu blog vinhosdecorte.com.br e outras publicações. Seu objetivo? Que o vinho faça parte cada vez mais do cotidiano das pessoas. Aqui, assina a coluna Grand Cru Responde.

Esta matéria fala sobre: Pergunte ao Daniel

Matérias relacionadas:

Como escolher um vinho para presentear?, por Daniel Perches

Continue lendo

Experimente um rosé e se surpreenda, por Didú Russo

Continue lendo

“First things first”, por Daniella Romano

Continue lendo

No mundo – quase – desconhecido dos rosés, por Amandine Castillon

Continue lendo

5 dicas de como escolher vinhos de guarda para a sua adega, por Massimo Leoncini

Continue lendo

5 vinhos a partir de R$48 para quem quer conhecer o Velho Mundo, por Moisés Lacerda

Continue lendo