Os 9 piores erros em uma degustação de vinhos, por Amandine Castillon

Publicado em 28/04/2017

Não cometa nenhuma gafe se estiver organizando uma degustação profissional de vinho. Dê uma olhadinha nas dicas da Sommelière Amandine Castillon!

Por Amandine Castillon

Você já tentou estacionar o carro com o rádio ligado? Esse é um momento em que a gente normalmente abaixa o volume ou até mesmo desliga o som, pois precisamos prestar mais atenção. Para fazer uma degustação profissional de vinho – diferentemente do momento em que você vai beber vinho de forma descontraída -, o conceito é mais ou menos o mesmo: precisamos degustar em um ambiente com menos interferências externas o possível. Listei as 9 piores situações, aquelas que você precisa evitar!

1) Em ambiente com cheiro muito forte

Não importa se o cheiro forte é de comida ou de produto de limpeza – às vezes, até mesmo se houver uma pessoa na sala com muito perfume -, é preciso evitar ambientes assim. O sentido mais importante no momento da degustação é o olfato, é por meio do nariz que vamos sentir todos os aromas e sabores (se lembra da última vez em que ficou gripado? Não sentimos direito o sabor dos alimentos!). E essas influências externas podem mexer no nosso sentido olfativo, atrapalhando a percepção das qualidades ou defeitos do vinho.

2) Em ambiente muito escuro ou mal iluminado

Para começar a degustar um vinho, normalmente a primeira etapa é o exame visual. Só que se não tem luz, não pode ver. Mas pode ser uma boa coisa se quiser fazer um teste às cegas para descobrir se o vinho dentro da taça é branco, rosé ou tinto. Sempre tentar achar um suporte de mesa mais claro, porque se você for olhar o vinho em cima de uma toalha escura, mesmo que seja em uma sala bem iluminada, não faz tanto sentido.

3) Quando a temperatura do vinho está acima ou abaixo do ideal

É sempre importante ver a temperatura do vinho antes do momento de degustá-lo. Se o vinho tinto ficar muito quente, por exemplo, vamos sentir mais o álcool do que os aromas do vinho em si. Se estiver muito gelado, vai amarrar na boca, vamos sentir mais a acidez e os taninos. Não vai ficar agradável para a degustação.

4) Usando taças coloridas ou com formato inusitado

A taça pode influenciar na degustação do vinho, sim. Se você for pegar uma taça de vidro muito espesso, o vinho não vai cair do mesmo jeito na boca e pode afetar as suas sensações gustativas. O ideal é uma taça com vidro fino transparente do modelo ISO, recomendada para degustações, que permita enxergar a cor do vinho, e com haste (não se segura a taça pelo bojo, mas sim pela haste, para não aumentar a temperatura do vinho).

5) Logo após de uma refeição

Sabia que o momento ideal de degustar um vinho é antes das refeições, por exemplo, as 11 ou 18 horas? Por quê?! Porque é antes de comer que as nossas papilas gustativas estão “ligadas” – elas já sabem que vão receber comida a qualquer momento. Nesse caso, elas captam muito melhor os sabores do que quando estão cansadas, depois de uma refeição.

6) Com uma mesa cheia de comidas

Quando você faz uma degustação profissional, o ideal é não servir comida ou servir muito pouco. Se quiser servir algo, escolha sempre alimentos neutros, sem sabores fortes. Ou seja, pão ou crostini com, no máximo, azeite. Os alimentos mais intensos de sabor podem mudar a nossa percepção sensorial e atrapalhar a degustação.

7) Usando água para limpar a taça entre um vinho e outro

As pessoas acham que a água não tem sabor, só que se você já provou vários tipos de águas sabe que existem algumas mais minerais ou mais densas do que outras. Sempre tente escolher uma água com menos sabor possível, ou seja, mais neutra. É bom também não limpar a taça com água entre um vinho e outro. Se ela é muito mineral, pode deixar aromas minerais na taça. Se for filtrada, tem produtos químicos que podem influenciar na degustação.

8) Sem uma cuspideira por perto

Um sommelier vai degustar muitos vinhos por degustação. Sendo assim, uma das regras básicas é ter sempre a cuspideira ao lado para não ficar bêbado e conseguir avaliar bem cada vinho – independentemente da quantidade. Se você degustar 25 vinhos, por exemplo, precisa chegar até a 25ª garrafa com profissionalismo. Quando as pessoas me perguntam se consigo sentir o aroma ou o sabor depois de degustar 25 vinhos, costumo responder “depois de ouvir 25 músicas, você ainda consegue ouvir alguma música?”.

9) Vendo o rótulo do vinho antes de degustar

A maneira ideal é degustar às cegas, assim não ficamos influenciadas, em primeiro lugar, pelo nosso gosto pessoal, depois pelas marca ou pela uva e região. Nesse caso, às cegas, podemos ter uma avaliação 100% objetiva.

 

Amandine Castillon é Sommelière e Coordenadora de Produtos na Grand Cru, e está à frente da Grand École, nossa escola de vinhos. Nascida em Tolouse, no sudoeste da França, é especializada em vinhos da região de Bordeaux. Quinzenalmente, ela vai compartilhar dicas de vinhos franceses, harmonizações e enoturismo neste espaço.

Esta matéria fala sobre:

Matérias relacionadas:

5 dicas para comprar vinhos com desconto e garimpar ótimas oportunidades!, por Amandine Castillon

Continue lendo

No mundo – quase – desconhecido dos rosés, por Amandine Castillon

Continue lendo

Sabia que também fazemos churrasco na França?!, por Amandine Castillon

Continue lendo

Mulheres que inspiraram – e continuam inspirando – a minha carreira no mundo do vinho, por Amandine Castillon

Continue lendo

O Carnaval da Europa e o Carnaval no Brasil, por Amandine Castillon

Continue lendo

Aprenda a lavar corretamente suas taças e decantadores de vinho!

Continue lendo