Sabia que também fazemos churrasco na França?!, por Amandine Castillon

Publicado em 14/02/2017

Na França, também temos o costume de nos reunir no quintal ao redor da churrasqueira e assar carnes para comer acompanhadas de um bom vinho!

Por Amandine Castillon

É isso mesmo: nós, franceses, também fazemos um delicioso churrasco!

A diferença é que, na França, fazemos churrasco só durante o verão e, principalmente, durante as férias, porque depois é muito frio para ficar na área externa da casa… Outra diferença grande é que o nosso churrasco não é um programa que dura um dia inteiro, como por aqui, que passo a tarde toda ao redor da churrasqueira com meus amigos, comendo, bebendo e escutando uma ótima música. Em vez disso, colocamos as carnes para assar – um tipo de carne, no máximo dois – e depois sentamos todos juntos para comer.

O prato mais tradicional do churrasco francês é a “chipolata”, uma linguiça fininha. É o mais consumido do verão, considerado o rei da estação. A gente também come muito “merguez”. Este último é uma linguiça feita de carne de boi ou de carneiro. Geralmente tem bastante condimento, é uma carne quase picante.

Para acompanhar as linguiças, vamos comer salada, legumes grelhados e pão.

A tradicional Merguez, prato típico do churrasco francês.

A tradicional Merguez, prato típico do churrasco francês.

Na minha terra natal, os pratos são um pouco diferentes. Em Toulouse, onde eu nasci, nós fazemos no churrasco um “magret de canard”, igual o da foto que escolhi para o destaque da coluna de hoje. É uma picanha de pato, mal passada, claro!

Picanha de pato do tradicional churrasco francês.

Porém, um costume é unânime em toda a França: nosso churrasco não é necessariamente acompanhado de cerveja, mas sempre de muito vinho bom.

Pode ser um rosé. Como é verão, tomamos mais um rosé da Provence, que vai ser uma coisa mais refrescante. Ou pode ser um tinto, mas um tinto mais leve. Não um Cabernet Sauvignon, que vai ser mais encorpado, nem o Malbec argentino, que harmonizamos muito com cortes de carne daqui.

Antes de morar no Brasil eu passei um tempo viajando pelo mundo. Quando cheguei na Austrália achei muito engraçado que todos os parques públicos têm um espaço com churrasqueiras. Os australianos chegam para passar o dia e trazem as carnes e o carvão, e fazem churrasco dentro do parque. Eles são que nem os brasileiros… O churrasco dura o dia inteiro, bebendo cerveja, ouvindo música, podem jogar um futebol do lado das mesas.

Quando eu cheguei no Brasil, descobri uma cultura de churrasco totalmente diferente, que não tinha visto parecida em nenhum outro lugar. Na primeira vez, eu comi carne como se fosse na França, uma quantidade necessária para matar toda a minha fome. Quando vi meus amigos colocando uma picanha na brasa, perguntei espantada “vocês ainda estão com fome??”. Também perguntei se não tinha vinho para acompanhar essa carne, é do que eu sinto mais falta.

Agora eu acostumei, vou beliscando e comendo cortes diferentes de carne durante todo o evento, mas não abro mão de sempre levar a minha garrafa de vinho. Normalmente levo um tinto espanhol, argentino ou português, como o Ribera Del Segura, ótimo para acompanhar os cortes de carne comuns daqui.

E confesso: hoje acho bem mais gostoso o churrasco brasileiro do que o da minha casa! Só sinto falta de um rosé de vez em quando.

Um beijo.

Vinho Tinto Ribera Del Segura 750 mL 2015


foto-perfil-coluna-amandine-castillon-grand-cru

Amandine Castillon é Sommelière e Coordenadora de Produtos na Grand Cru, e está à frente da Grand École, nossa escola de vinhos. Nascida em Tolouse, no sudoeste da França, é especializada em vinhos da região de Bordeaux. Quinzenalmente, ela vai compartilhar dicas de vinhos franceses, harmonizações e enoturismo neste espaço.

Esta matéria fala sobre: Carne de caça

Matérias relacionadas:

5 dicas infalíveis para organizar um churrasco - com vinho!

Continue lendo

Carne vermelha e vinho tinto: aprenda a harmonizar cada tipo de corte de carne

Continue lendo

Receita: Magret de pato

Continue lendo

5 dicas para comprar vinhos com desconto e garimpar ótimas oportunidades!, por Amandine Castillon

Continue lendo

Mulheres que inspiraram – e continuam inspirando – a minha carreira no mundo do vinho, por Amandine Castillon

Continue lendo