Os 100 melhores vinhos de 2017, por James Suckling

Publicado em 28/11/2017

Ao final de cada ano, os críticos da JamesSuckling.com lançam a lista com os melhores vinhos degustados no período. Confira 10 destaques de 2017 que estão nas prateleiras da Grand Cru

Em 2017, os avaliadores do JamesSuckling.com degustaram cerca de 16 mil vinhos. “Depois de 36 anos como crítico de vinhos, este foi um dos mais empolgantes. Nós provamos muitos vinhos incríveis”, disse o editor do site Stuart Pigott, que afirma ter sido a edição mais difícil da lista anual Top 100 Wines of The Year. A lista é elaborada em conjunto pelos críticos da publicação com base nos vinhos que tiveram as pontuações mais altas, mas também levando em consideração a disponibilidade e “combinação entre empolgação e preço”, afirma Pigott.

Confira os 10 destaques de 2017 que estão nas prateleiras da Grand Cru:

Mazzei Siepi Toscana IGT 2015

Este vinho é feito somente em safras boas a partir do corte de Sangiovese com Merlot, cultivadas no vinhedo chamado Siepi, um “Cru” da Toscana de apenas seis hectares e que contém as melhores parcelas da Mazzei. Nas palavras do Gambero Rosso, guia de avaliação de vinhos italianos, ele foi “um dos 50 rótulos que mudaram a o estilo de vinhos da Itália”.

Domaine de Chevalier Pessac-Léognan Blanc 2014

Com solos de cascalho e rodeado por florestas, Péssac-Leognan é a melhor denominação para os vinhos brancos de Bordeaux – é lá em que os cortes de Sauvignon Blanc e Sémillon Blanc mais se destacam no mundo. Não à toa, este rótulo da Domaine de Chevalier, classificado Grand Cru em 1855, está na lista. Espere grande complexidade aromática aliada a um frescor inigualável deste vinho – e não tema em guardá-lo por décadas na adega.

Château Pontet-Canet Pauillac 2014

Inovador, o Château Pontet-Canet cultiva as uvas de forma biodinâmica na denominação de Pauillac, margem esquerda de Bordeaux. A propriedade foi adquirida por Jean-François de Pontet, responsável pela cavalaria do Palácio de Versalhes, em 1705, que formou a propriedade do tamanho que era quando foi classificada Grand Cru em 1855. O objetivo do Château é entregar um vinho com elegância, que mostre o charme do terroir de Pauillac.

Château La Mission Haut Brion Blanc Pessac-Léognan 2014

Diferentemente do Domaine de Chevalier, este Pessac-Léognan Blanc é feito com maioria Sémillon e apenas uma pequena porcentagem de Sauvignon Blanc e Muscadelle. Com aromas complexos, é um vinho muito floral, com paladar redondo e elegante – que pode ser bebida jovem ou guardado por 20 anos na adega.

https://www.facebook.com/Chateau.La.Mission.Haut.Brion/photos/a.181564705207834.42270.120986914598947/181564828541155/?type=3&theater

Château Mouton-Rothschild Pauillac 2014

Um dos mais tradicionais Châteaux de Bordeaux, o Mouton-Rothschild foi adquirido em 1853 pelo Baron Nathaniel de Rothschild – mas foi somente em 1945 que passou a mudar o seu rótulo safra a safra, convidando um artista contemporâneo para estampar as suas preciosas garrafas (saiba mais aqui). Este Premier Cru Classé de Pauillac, classificado em 1855, está safra a safra entre os melhores vinhos do mundo.

Cobos Chañares Vineyard Malbec 2014

Foi no vinhedo mais novo e um dos mais altos da Viña Cobos, Chañares, localizado em Los Árboles, que nasceu este grande Malbec. As vinhas estão plantadas a 1.180 metros de altitude em solo aluvial, com boa drenagem, o que resultou em um varietal extremamente perfumado e concentrado. “Não há rebarbas nem taninos duros, não há excessos, mas um lindo equilíbrio e harmonia”, disseram os críticos do Robert Parker ao avaliar esta safra com nada menos do que 95 pontos.

Errazuriz Las Pizarras Pinot Noir 2016

Foi o alto conteúdo de xisto no solo do vinhedo da Errázuriz que despertou atenção dos enólogos da vinícola. Xisto, chamado de “pizarras” em espanhol, é a rocha que dá caráter aos vinhos do Douro e que trouxe personalidade única a este Pinot Noir, que mostra grande complexidade aromática e estrutura surpreendente.

Dos joyitas de Aconcagua Costa: Las Pizarras #chardonnay y Las Pizarras #pinotnoir #puroterroir #pizarra

A post shared by Viña Errazuriz (@errazurizwines) on

Château Ducru-Beaucaillou Saint-Julien 2014

Dos mesmos proprietários do Château Grand-Puy-Lacoste e Château Haut-Batailley, a família Borie, o Château Ducru-Beaucaillou está localizado em Saint-Julien e é um Grand Cru segundo a classificação de 1855.

Seña 2015

Foi do encontro entre o visionário Eduardo Chadwick com Robert Mondavi que nasceu Seña, o primeiro vinho Ultra Premium do Chile. Os dois passaram quatro anos procurando o terroir ideal para este grande vinho, e o encontraram justamente no Vale do Aconcágua, a 40 quilômetros da costa do Pacífico. O reconhecimento internacional do Seña veio com a degustação às cegas que Chadwick organizou em Berlim, conhecida como “The Berlin Tasting”, colocando alguns de seus vinhos entre Grand Crus de Bordeaux e toscanos – o Seña ficou em segundo lugar, ganhando destaque entre sommeliers de todo o mundo. Hoje, Seña é comercializado em Bordeaux ao lado dos rótulos de grandes e renomados Châteaux, mostrando a capacidade do Chile de dar origem a grandes vinhos.

A post shared by SEÑA (@sena_wine) on

Léoville-Las Cases Saint-Julien 2014

Localizado na denominação de Saint-Julien, na margem esquerda de Bordeaux, o Château Léoville-Las Cases é um Grand Cru Classé de 1855. Seu vinhedo fica na divisa de Saint-Julien com Pauillac, onde está o Château Latour. Em 1976, o Léoville-Las Cases 1971 ficou em sexto lugar durante o evento conhecido como Julgamento de Paris, que colocou vinhos franceses e californianos para serem degustados às cegas por renomados sommeliers – e até hoje o vinho figura ao lado dos melhores vinhos do mundo.

Such a classic beauty: 1989 #leovillelascases. Majestic, alluring & persistent

A post shared by Jeannie Cho Lee (@jeanniecholee) on

Esta matéria fala sobre:

Matérias relacionadas:

Entenda como funcionam os principais guias de pontuação do mundo - de Robert Parker a Wine Spectator!

Continue lendo

Top 100 vinhos de 2017, segundo a Wine Spectator

Continue lendo

Os Melhores Vinhos do Ano pela Vivino

Continue lendo

O primeiro vinho com 100 pontos do Chile, por Didú Russo

Continue lendo

Conheça os cinco B’s da Itália: Barolo, Barbaresco, Barbera, Brunello e Bolgheri

Continue lendo

As safras extraordinárias de Bordeaux, por Tiago Santos

Continue lendo