Mouton Rothschild: a arte e o rótulo, por Amandine Castillon

Publicado em 23/11/2017

Acaba de ser divulgado o rótulo da nova safra do Château Mouton Rothschild da safra 2015. Entenda a história da arte no rótulo desse vinho, que é um dos desejados do mundo, com a sommelière Amandine Castillon

Além de ser um Premier Grand Cru Classé de Pauillac, na margem esquerda de Bordeaux, o Château Mouton Rothschild é também muito famoso por seu rótulo, que muda a cada safra. Basicamente o que eles fazem é convidar um artista contemporâneo e ele tem liberdade para criar o rótulo que quiser. Na verdade, não é bem criar o que rótulo que quiser, vai… Mas aproveitar um espaço em branco em cima do rótulo tradicional da vinícola para criar livremente.

Vinho é algo que quase sempre faz parte do tema, é claro, mas algumas vezes o “mouton” também aparece (mouton significa carneiro em francês). Então os temas principais vão ser vinho, a felicidade que acompanha vinho, o carneiro (que é representado várias vezes)… Muitos artistas conhecidos já participaram desse rótulo, entre os mais famosos, Picasso, Braque, Salvador Dalí, Francis Bacon e até (acredite) o Príncipe Charles.

Quando isso começou? Em 1924. Foi o Jean Carlu, famoso desenhista de publicidade na França, que fez o primeiro rótulo diferenciado, que aliás é até hoje o rótulo do Petit Mouton, segundo vinho do Château. Depois desse rótulo, o próximo que veio diferente foi em 1945. Foi um ano muito importante para o mundo, pois foi quando acabou a Segunda Guerra Mundial, por isso o Baron Philippe de Rothschild criou um rótulo com um V de vitória – inspirado no V de Winston Churchill, que foi um sinal de reunião para o mundo livre dos Aliados durante a Guerra. A partir de então, todas as safras tiveram rótulos diferentes.

A partir de 1945, ele convidou um artista diferente para criar um rótulo personalizado de acordo com a safra. No ano seguinte, por exemplo, o artista convidado foi Jean Hugo, bisneto do escritor Victor Hugo. Seguindo uma identidade visual totalmente diferente, ele criou uma homenagem a um ano de paz mundial no pós-guerra, representado pela pomba branca carregando um ramo de oliva, símbolo bíblico que remete à Arca de Noé. Apenas em alguns anos muito especiais, o rótulo mudou totalmente, como em 1973, ano em que o pintor Pablo Picasso faleceu – nesse caso, foi feita uma homenagem a ele, aumentando o tamanho da pintura no rótulo, tirando a parte tradicional do rótulo. Por falar em homenagem, também foi feita um rótulo especial para a Rainha Elizabeth, do Reino Unido, em 1977.

Na última semana, saiu o novo rótulo do Château Mouton Rothshild 2015, feito pelo artista Gerhard Richter. Eles querem mostrar as novidades. Como a Baronne Philippine de Rothschild morreu na última safra engarrafada, 2014, esse rótulo busca mostrar as novas gerações no comando da vinícola – Camille Sereys, Julien de Beaumarchais e Philippe Sereys. Foi o primeiro rótulo assinado pelo Philippe Sereys em homenagem à sua mãe, a Baronne Philippe de Rothschild com o famoso ator Jacques Sereys.

 

Amandine Castillon é Sommelière e Coordenadora de Produtos na Grand Cru, e está à frente da Grand École, nossa escola de vinhos. Nascida em Tolouse, no sudoeste da França, é especializada em vinhos da região de Bordeaux. Quinzenalmente, ela vai compartilhar dicas de vinhos franceses, harmonizações e enoturismo neste espaço.

Esta matéria fala sobre:

Matérias relacionadas:

As safras extraordinárias de Bordeaux, por Tiago Santos

Continue lendo

5 dicas de como escolher vinhos de guarda para a sua adega, por Massimo Leoncini

Continue lendo

5 fatos que você não sabia sobre garrafas de vinho

Continue lendo

No mundo – quase – desconhecido dos rosés, por Amandine Castillon

Continue lendo

Os 5 piores erros de harmonização de vinho com comida que você não sabe que está fazendo, por Amandine Castillon

Continue lendo

Sabia que também fazemos churrasco na França?!, por Amandine Castillon

Continue lendo