Escolhendo o vinho certo: Palavras para descrever um vinho

Publicado em 23/05/2016

Você prefere um vinho encorpado, tânico e austero ou um vinho leve, fresco e aromático? Esses adjetivos são importantes para ajudar a descrever um vinho (e identificar quais características agradam ou não o seu paladar!)

O último passo para aprender a escolher um vinho para o seu paladar é conseguir descrever quais características você procura quando não sabe associá-las a uma determinada casta, região ou país.

Redondo ou equilibrado

Costumamos dizer que um vinho que é redondo ou equilibrado quando não restam arestas em taça. Um vinho que é macio, que integra bem todos os seus elementos (acidez, corpo, álcool e taninos) ou que está em seu melhor período de evolução.

Vinho Tinto Mirandelle L. Lurton Rouge 2015 750 mL

Encorpado ou pesado

Vinho que tem peso de corpo em boca. Mede-se o peso de um vinho a partir do peso que exerce sobre a língua.

Exemplos: Malbec, Cabernet Sauvignon e Primitivo

Vinho Tinto Cobos Felino Malbec 2015 750 mL

Leve

Muitos consumidores utilizam a expressão leve para falar a respeito de um vinho com baixa graduação alcoólica. Leve, na verdade, é um vinho com baixo peso de corpo (o exato oposto de encorpado!).

Exemplos: Pinot Noir, Gamay e Pinot Grigio

Vinho Branco Barone Montalto Acquerello Pinot Grigio 2016 750 mL

Ácido ou fresco

Não pense que ácido tem conotação negativa ao falar de um vinho. Apenas significa que ele tem elevada acidez, característica que se sente pela alta salivação na lateral da língua.

Exemplos: Riesling, Sauvignon Blanc e Sangiovese

Vinho Tinto Santoro Sangiovese IGP Puglia 2014 750 mL

Tânico

Vinho com elevado conteúdo de taninos (polifenol presente na casca das uvas e que causa sensação de adstringência no paladar). Só os vinhos tintos têm tanino, pois os brancos e rosés são vinificados sem a casca ou por tempo insuficiente para transferir tais polifenóis à bebida.

Exemplos: Tempranillo, Syrah e Cabernet Sauvignon

Vinho Tinto Embocadero Ribera del Duero 2013 75 mL

Aromático

É fácil confundir um vinho aromático com um vinho com muitos aromas. Para identificar o aromático, pense somente na intensidade aromática do vinho (mesmo que seja de um único aroma). O vinho é perfumado? É possível sentir o(s) seu(s) aroma(s) mesmo sem aproximar o nariz da taça? Então ele é aromático!

Exemplos: Malbec, Gewürztraminer e Riesling

Vinho Branco Leyda Single Vineyard Riesling Neblina 2012 750 mL

Complexo

Vinho com grande profundidade de aromas e sabores (não necessariamente com grande intensidade, a diversidade de aromas é o que importa). Muitas vezes utilizado para se referir a um vinho que ganhou notas de evolução com a guarda, chamadas de aromas terciários.
Exemplo: Châteauneuf-du-Pape, Bordeaux e Barbaresco

Vinho Tinto Ricossa Barbaresco DOCG 2013 750 mL

Austero

Quando algum dos elementos do vinho ainda está em desequilíbrio em relação aos demais, o vinho soa austero ao paladar. Diz-se isso quando abre um vinho destinado a longa guarda antes do período ideal.

Exemplos: Barolo, Bordeaux e norte do Rhône

Vinho Tinto Pecchenino Barolo DOCG San Giusepe 2012 750 mL

Macio

Adjetivo muitas vezes utilizado para fazer referência ao tanino do vinho. Quando o tanino é macio e sedoso, passa pela língua como veludo, o paladar parece macio. Presença de glicerina e álcool também deixam o vinho macio.

Exemplos: Merlot, Carménère e Chardonnay com estágio em madeira

Vinho Tinto Round Hill Merlot 2014 750 mL

Seco

A maioria dos vinhos que consumimos são secos. Vinhos com pouco ou nenhum conteúdo de açúcar residual em sua composição. Na prática, são os vinhos que têm menos de 5 gramas de açúcar residual por litro.

Vinho Tinto Errazuriz 1870 Carménère Reserva 2015 750 mL

Suave

Muito se confunde o termo suave com macio, mas ao falar de vinho querem dizer coisas completamente diferentes. Suave, no Brasil, quer dizer que o vinho tem mais de 25 gramas de açúcar residual por litro. Normalmente não são vinhos com açúcar residual da própria uva, mas que são feitos de uvas americanas ou híbridas e têm açúcar adicionado artificialmente em sua composição.

A Grand Cru não trabalha com vinhos suaves. Mas, se você quiser um vinho doce com a curadoria da Grand Cru, conheça os vinhos de sobremesa.

Forte ou quente

Quando a graduação alcoólica é muito elevada, diz-se que o vinho é forte ou quente, pois esquenta o paladar e passa marcado pela garganta. Não confunda forte com pesado ou encorpado. Normalmente os vinhos de regiões mais quentes tendem a ser mais alcoólicos, mas a percepção do grau alcoólico do vinho está mais ligado com o equilíbrio dele no paladar.

Vinho do Porto Tinto Churchill’s Ruby Reserva 750 mL


Gustavo Jazra

Esta matéria fala sobre:

Matérias relacionadas:

Cinco harmonizações improváveis de vinho com pratos do dia a dia que você não imaginava que eram possíveis

Continue lendo

9 Malbecs com ótimo custo-benefício para todas as ocasiões

Continue lendo

10 receitas portuguesas tradicionais que você precisa conhecer

Continue lendo