Consumo regular de vinho e os benefícios para a sua saúde

Publicado em 22/04/2015

Muito se fala nos benefícios do consumo de vinho tinto à saúde. Mas você sabe quais são eles? Aprenda com o Sommelier Grand Cru!

Vinho protege o coração

Sua maior e  mais conhecida virtude é diminuir o risco de doenças coronarianas, como o infarto, além de prevenir trombose, derrame e acidente vascular cerebral (AVC). Tudo isso devido ao resveratrol, polifenol presente na casca das uvas e que é engarrafado junto da bebida.

São vários os estudos que comprovam o benefício de tal substância ao organismo. Só não vale exagerar na dose nem desistir dos exercícios, afinal o efeito do consumo de vinho aliado a um estilo de vida saudável trará, certamente, ainda mais benefícios.

Vinho aumenta o “bom colesterol” e diminui o “mau colesterol”

Um estudo da Universidade de Alberta, no Canadá, detectou que pessoas que consomem vinho regularmente têm melhores índices de colesterol. O resultado se deve ao resveratrol, flavonóides, compostos fenólicos e outros antioxidantes presentes na bebida.

Essas substâncias, de acordo com o estudo, estimulam ao aumento das lipoproteínas de alta densidade (HDL), conhecido como o “bom colesterol”, e a diminuição das lipoproteínas de baixa densidade (LDL), popularmente chamado de “mau colesterol”.

O vinho, portanto, previne o fechamento das artérias e coagulações internas, protegendo o coração dos efeitos da gordura.

Vinho ajuda na digestão

E os benefícios do vinho vão além do que imaginamos… A bebida contém quantidade significativa de probióticos, que ajuda no processo digestivo,detectou um estudo publicado na revista científica The Journal of Clinical Nutrition.

Depois de evitarem qualquer bebida alcoólica por duas semanas, os participantes se submeteram ao consumo de duas taças de vinho durante 20 dias. Após esse período, deveriam se abster novamente de qualquer bebida alcoólica pelo mesmo período e depois substituir a dose de vinho por um copo de gim por novos 20 dias.

O melhor resultado encontrado foi durante o período em que os participantes consumiram vinho. Foi constatado que o consumo moderado da bebida inibe o desenvolvimento de bactérias maléficas ao organismo e incentiva o crescimento de uma flora intestinal mais saudável.

Vinho tem ação antibiótica, anti-inflamatória e anticancerígena

Já dizia Louis Pasteur, cientista do século 19 conhecido pela criação da teoria microbiológica: “o vinho é a mais saudável e a mais higiênica das bebidas alcoólicas”.

Atualmente, se sabe que o vinho diminui em 11% o risco de infecção por bactérias, de acordo com o Sociedade Europeia de Cardiologia; e que a bebida também inibe o crescimento de vários tipos de vírus, como herpes e poliomelite, conforme o estudo publicado na revista Applied and Environmental Microbiology.

Além disso, de acordo com a pesquisa realizada pelo Centro Oncológico da Universidade de Colorado, nos Estados Unidos, o resveratrol presente na casca das uvas e no vinho tinto ajuda a eliminar células danificadas do organismo, fazendo com que elas não se transformem em um câncer.

Vinho faz bem para a pele

Com tantas substâncias antioxidantes, o vinho não poderia deixar de fazer bem para a pele. Isso mesmo! Os componentes da bebida melhoram a consistências elástica da pele, a hidratação e microcirculação do maior órgão do nosso organismo, segundo artigo publicado na revista Dermatology and Therapy.

Vinho contribui para o controle de peso

Muito se fala sobre o consumo moderado de vinho e perda de peso. A questão é mais polêmica do que parece, mas uma coisa é certa: uma taça tem calorias que “valem a pena”.

Polifenóis, em especial flavonóides, ajudam a acelerar o metabolismo, mas dessa vez outra substância é que se destaca. O pouco falado piceatannol, também presente no vinho, retarda a criação de células de gordura e previne o crescimento das células antigas, constatou a pesquisa publicada na revista científica The Journal of Biological Chemistry.

Consumo saudável de vinho: qual é a quantidade indicada?

Que vinho é saudável, sabemos, só não vale usar como desculpa para abusar. O consumo excessivo de vinho, como de qualquer bebida alcoólica, tem efeito reverso no organismo e traz malefícios.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) adverte que o consumo de até 30 gramas de álcool por dia raramente prejudica a saúde do fígado e do coração.

Saúde!

Esta matéria fala sobre:

Matérias relacionadas:

17 tatuagens de vinho para se inspirar

Continue lendo

11 pontos turísticos para conhecer em Santiago, no Chile

Continue lendo

5 destinos de vinho imperdíveis que você precisa conhecer

Continue lendo