Aromas e sabores das uvas brancas mais conhecidas

Publicado em 15/05/2015

Cada variedade vinífera tem uma característica diferente. Aprenda a reconhecer às cegas as principais – de Chardonnay a Sauvignon Blanc!

Embora ainda não seja o tipo de vinho mais consumido no Brasil, os vinhos brancos são ideais para refrescar os dias quentes do clima tropical do país em que moramos. Além disso, por serem mais ácidos e refrescantes, harmonizam perfeitamente bem com a nossa gastronomia e são substitutos à altura da cerveja no final de tarde.

Antes de escolher o seu próximo rótulo de vinho branco, conheça os aromas e sabores das principais uvas brancas cultivadas no mundo!

Chardonnay

Capaz de produzir vinhos brancos dourados, frutados, encorpados e alcoólicos, conheça a Chardonnay, a casta francesa responsável por vinhos brancos, cortes rosés e vinhos espumantes.

A mais popular das uvas brancas é também uma das mais versáteis. Ela muda bastante de aroma e sabor conforme o terroir – isso porque é suscetível às mudanças de clima e solo. De modo geral, pode-se dizer que os Chardonnay do Novo Mundo têm aromas de frutas tropicais, são encorpados e tem baixa acidez; enquanto que os do Velho Mundo tendem para as frutas cítricas e brancas, além de terem maior acidez.

Para degustar o melhor da Chardonnay, a nossa indicação é o Vistamar Sepia Chardonnay Reserva 2015.

Vinho Branco Vistamar Sepia Chardonnay Reserva 2015 750 mL

Vinho Branco Vistamar Sepia Chardonnay Reserva 2015 750 mL

Sauvignon Blanc

A segunda casta mais cultivada no mundo, possui aromas muito específicos (e intensos). A Sauvignon Blanc acaba se pronunciando tanto que é facilmente identificada. Ao desarrolhar, já se sentem os aromas de frutas amarelas cítricas e tropicais, como maracujá e limão, mesclados às notas herbáceas. Em boca, apresenta acidez bastante alta e corpo leve.

Alguns enólogos debatem sobre o melhor clima para o cultivo da Sauvignon Blanc, se é na França, seu país de origem, ou na Nova Zelândia. No Velho Mundo, a casta assume aromas de lima e groselha enquanto, no Novo Mundo, é caracterizada por aromas de maracujá e pêssego.

A casta parente da tinta, a Cabernet Sauvignon, também pode ser encontrada na Austrália, África do Sul, Chile e Estados Unidos.

Nossa indicação para conhecer a Sauvignon Blanc é um rótulo da Nova Zelândia, o Vinho Branco Saint Clair Vicar’s Choice Sauvignon Blanc 2014.

Vinho Branco Saint Clair Vicar's Choice Sauvignon Blanc 2014 750 mL

Vinho Branco Saint Clair Vicar’s Choice Sauvignon Blanc 2015 750 mL

Pinot Grigio

Pinot Gris na França, Pinot Grigio na Itália, são a mesma uva. A casta tem origem na França e na Itália e é muito cultivada nos Estados Unidos. Tem um tom rosa e, ao mesmo tempo, acinzentado, por isso o nome Gris, que significa cinza em francês.

Pouco aromáticos, de corpo leve e acidez alta, os vinhos feitos com a Pinot Grigio são febre nos Estados Unidos. Pudera, seus vinhos são perfeitos para acompanhar dias quentes e ensolarados da plena costa californiana. Seus aromas são sutis, mas agradáveis: notas de mel, fumaça e especiarias.

Em geral, Pinot Gris produz vinhos leves com aromas mais cítricos quando cultivada em climas frios. Quando a casta é produzida em ambientes mais quentes, fica com aromas mais próximos a damasco e nectarina.

Já conhecia esta uva? Este vinho branco Barone Montalto Acquarello é um típico Pinot Grigio!

Vinho Branco Barone Montalto Acquerello Pinot Grigio 2016 750 mL

Vinho Branco Barone Montalto Acquerello Pinot Grigio 2016 750 mL

Moscato

Outra uva que se entrega pelo nariz é a Moscato. Existem diversas variedades diferentes, todas tão perfumadas que às cegas o vinho se passa por um buquê de flores, com direito a néctar. Pode ter paladar doce ou seco, o que às vezes causa confusão, mas é normalmente leve e com boa acidez.

Experimente um vinho 100% Moscato como o Mancura Etnia 2016.

Vinho Branco Mancura Etnia Moscato 2016 750 mL

Vinho Branco Mancura Etnia Moscato 2016 750 mL

Riesling

A principal uva branca da Alemanha é também bastante versátil – faz desde os vinhos secos e mineras até os doces -, sendo suas características mais marcantes o perfume, elevada acidez e corpo leve. Seus aromas e sabores mais típicos vão desde limão, damasco e maçã até querosene, mel e marmelada.

Quando cultivada na Alemanha, esta variedade de uva tem características mais cítricas, enquanto na Austrália assume um forte caráter petroláceo. Outro aspecto interessante de Riesling é a possibilidade de guarda, de até dez anos, o que não é muito comum para vinhos brancos.

O Vinho Branco Leyda Single Vineyard Riesling Neblina tem uma acidez gostosa e é bastante refrescante!

Vinho Branco Leyda Single Vineyard Riesling Neblina 2013 750 mL

Vinho Branco Leyda Single Vineyard Riesling Neblina 2013 750 mL

Torrontés

Cepa branca mais importante da Argentina, a Torrontés em muito se assemelha com as variedades brancas aromáticas – também é marcada pelo caráter perfumado floral e frutado que assume à taça, mas de acidez e corpo médios.

Vinho de Sobremesa Laborum Torrontés Late Harvest 2013 500 mL

Gewürztraminer

O nome pode até ser difícil, mas não se assuste: seus vinhos são pra lá de fáceis de beber – e inconfundíveis. Gewürztraminer significa uva apimentada do “Tramin”, região do norte da Itália. É uma uva de casca rosada e com pequenas bolinhas pretas, trazendo aromas de lichia, rosas, amêndoas e até alguns toques defumados.

Muito difícil de encontrar no Brasil, a Gewürztraminer foi usada para produzir esse vinho de sobremesa francês, premiado com 91 pontos Robert Parker.

Vinho de Sobremesa Domaine Weinbach Furstentum Grand Cru 2006 375 mL

Vinho de Sobremesa Domaine Weinbach Furstentum Grand Cru 2006 375 mL

Sémillon

Uma das primeiras castas da história do vinho, a uva é ainda pouco conhecida. Muito cultivada na França, seu país de origem, a Sémillon costuma ser encontrada em cortes brancos, junto a Sauvignon Blanc.

Esta variedade de uva tem uma característica muito peculiar: apresenta aromas e sabores típicos de amadurecimento em madeira, mesmo que não tenha passado por este processo.

As diferenças regionais de Sémillon são percebidas com notas cítricas e herbáceas quando cultivada no Velho Mundo, e notas de madeira e frutas tropicais quando a cepa é produzida no Novo Mundo.

Você pode até pensar que nunca provou um vinho feito com Sémillon, mas está enganado: ela é a principal uva dos grandiosos vinhos doces de Sauternes. A uva traz normalmente notas de mel, cera, geleia de laranja e tostadas.

Chenin Blanc

A casta é cultivada majoritariamente em dois países com características completamente diferentes: a França, seu país de origem, e  a África do Sul, onde é uma das preferidas.

Na França, os vinhos produzidos a partir desta variedade são marcados pelas notas de frutas cítricas e de frutas maduras, assumindo sabores como limão, pera, figo e até mesmo maçã. Maçã é uma nota característica de vinhos oxidados, um estilo de produzir típico de uma região chamada Savennières, no Vale do Loire. Além disso, a casta branca produz excelentes vinhos espumantes.

No entanto, a Chenin Blanc é mais famosa na África do Sul do que na França. O cultivo dessa casta é muito intenso no país africano e ela perfuma os vinhos com notas de nectarina, mel e manteiga. Na região de Anjou,  a neblina interfere nas videiras e deixa o vinho com uma boca diferente, de gengibre cristalizado.

Vinho Branco Ji Ji Ji Chenin Blanc 2016 750 mL

Vinho Branco Ji Ji Ji Chenin Blanc 2016 750 mL

Agora que você já conheceu as principais castas brancas do mundo, que tal saber mais sobre as tintas? Clique aqui para ler a nossa matéria sobre as principais castas tintas do mundo!

Esta matéria fala sobre:

Matérias relacionadas:

Chardonnay: a uva branca mais popular

Continue lendo

As principais uvas tintas do mundo e suas características

Continue lendo

9 tendências do mundo do vinho para 2017

Continue lendo