Errazuriz: a vinícola familiar chilena que se tornou uma das mais importantes do mundo

Publicado em 09/06/2017

Conheça a história da vinícola chilena que foi pioneira no cultivo da uva no Vale do Aconcágua e acabou se tornando uma das bodegas mais importantes do mundo do vinho.

A história centenária da Viña Errazuriz

A Viña Errazuriz foi fundada em 1870 por Don Maximiano Errázuris, recém-chegado da Espanha no Chile. Pioneiro no ramo da viticultura no país, Don Maximiano decidiu plantar as primeiras mudas de videiras francesas no Vale do Aconcagua. O vale fica a apenas 12 km do Oceano Pacífico, numa região de clima frio e solos de ardósia, e que recebe grande influência marítima.

Enquanto na época a maior parte das vinícolas se estabelecia nos arredores da capital Santiago, Don decidiu viajar pelo Chile me busca do terroir perfeito. E encontrou o pedaço de terra que queria ao norte, no Vale Aconcagua.

O Vale do Aconcagua, berço da vinícola chilena Errazuriz.

Em 1983, Eduardo Chadwick e seu pai, Don Alfonso, se juntaram à Viña Errazuriz e passaram a estudar a fundo o processo de viticultura, o processo de produção de vinhos finos e, mais especificamente, os vinhos de Bordeaux. Chadwick foi um dos líderes da revolução vitivinícola do Chile, e essa parceria foi fundamental no reconhecimento do potencial do país de produzir vinhos de alta qualidade e na aplicação de novas tecnologia no processo de produção da bebida.

Os resultados vieram rápido. Em 1993, a Errazuriz se tornou uma das primeiras vinícolas a cultivar vinhedos da uva Syrah no Chile. O clima mediterrâneo do Vale Aconcagua permitiu que a casta se desenvolvesse ali de maneira formidável, inclusive com expressões variadas de acordo com o terroir em que se localizava entre a costa e as montanhas. Além da Syrah, outras castas, como a Sauvignon Blanc, a Chardonnay e a Pinot Noir, também encontraram terreno fértil no vale.

Clima mediterrânico com grande influência marítima na região onde estão os vinhedos da Errazuriz.

Berlin tasting, o novo Julgamento de Paris

O objetivo de Chadwick era levar os vinhos chilenos ao reconhecimento internacional e, para isso, propôs um novo desafio de degustação de vinhos ao estilo do Julgamento de Paris.

Para quem não conhece, a histórica prova de degustação às cegas foi conduzida por Steven Spurrier em Paris no ano de 1976. O objetivo de Spurrier era mostrar aos colegas sommeliers a revolução que estava acontecendo no mundo dos vinhos californianos, que sofriam grande preconceito por parte da crítica especializada.

Para provar seu ponto, ele propôs uma degustação a cegas com rótulos de Bordeaux e, em segredo, incluiu alguns vinhos da Califórnia. Dentre inúmeros vinhos degustados, os colegas de Steven Spurrier elogiaram os rótulos californianos como se a safra desses “Bordeaux” tivesse sido excepcional. Foi aí que descobriram que, na verdade, tinham acabado de degustar exemplares da Califórnia.

Esta degustação ficou conhecida mundialmente porque na época os vinhos franceses eram tidos como os melhores do mundo.

Inspirado na história, Eduardo Chadwick organizou uma degustação nesses mesmos moldes em Berlim levando seus vinhos íncones – Don Maximiano Founder’s Reserve, Seña e Viñedo Chadwick, junto com outros importantes rótulos de vinícolas importantes do Velho Mundo do vinho.

Este evento, conhecido como The Berlin Tasting, foi um marco na história da produção de vinho do Chile. A degustação foi reproduzida ao longo de quase duas décadas e replicado em mais de 15 capitais do mundo. E os vinhos da Errazuriz sempre ficavam entre os três primeiros colocados.

A degustação The Berlin Tasting.

A descoberta da Carménère no Chile

Em 1994, a casta Carménère foi descoberta por acaso no Chile, misturada à exemplares da uva Malbec (aqui contamos toda a história dessa surpreendente descoberta). No país, a Carménère se desenvolveu de maneira excepcional, se expressão de forma ainda mais notável do que em sua terra natal, a França, onde havia sido creditada como extinta após a praga Filoxera tomar conta do Velho Mundo.

Dez anos após sua redescoberta, a Viña Errazuriz lança o vinho KAI, feito da variedade. O nome homenageia uma planta nativa do Chile, quase extinta nos dias de hoje. O KAI recebeu prêmios e pontuações altas em publicações internacionais, e a colheita de 2006 foi a vencedora no Berlin Tasting em Nova York de 2010.

Don Maximiano Founder’s Reserve, o ícone emblemático da Vinã Errazuriz, é o único vinho chileno eleito das safras 2010 e 2010 como Best in Show e Best Super Premium Red em duas edições consecutivas do Annual Wines of Chile Awards (AWOCA), a competição de vinhos mais importante do país, organizado pela Wines of Chile.

Esta matéria fala sobre:

Matérias relacionadas:

A Syrah pelo mundo: Vale do Rhône, Austrália, África do Sul, Argentina e Chile

Continue lendo

A história da uva Carménère no Chile

Continue lendo

Filoxera: foi por causa dela que quase ficamos sem vinho no mundo!

Continue lendo