As regiões pouco conhecidas da Espanha

Publicado em 04/05/2016

Quando falamos em Espanha, facilmente nos lembramos de Rioja, Ribera del Duero, Castilla e León, entre outras regiões que estampam alguns dos rótulos mais famosos do país. Mas o que esperar de um vinho de Jumilla, por exemplo? E de Almansa?

Aceite o nosso convite e venha conhecer mais de perto essas regiões que pouco se ouve falar, mas que trazem produções pra lá de interessantes.

Jumilla

Uma das principais denominações do país, Jumilla possui quase 40 mil hectares que se estendem ao longo da província de Albacete e partes de Múrcia. A Monastrell é a casta que se destaca na região de solo seco e calcário, cujo sol intenso é favorável à maturação das uvas. Também fazem sucesso por lá a Syrah (que desenvolve um caráter frutado encantador) e Cabernet Sauvignon e Merlot. A título de curiosidade, alguns dos mais notáveis crianzas são produzidos em Jumilla.

Vinho Tinto Romeo 2015 750 mL

Calatayud

A região de Calatayud dá origem aos chamados vinhos de altura. Os vinhedos estão plantados de 500 a 1040 metros de altitude, na parte mais ocidental de Zaragoza, próximo a Madrid. Predomina o cultivo da Garnacha em vinhas com mais de 50 anos, que hoje ocupam 54% de toda a área de plantio da região. Sem dúvida, é a mais representativa do local. Em segundo lugar, fica a Tempranillo, com 21% da área. Algumas variedades brancas também são cultivadas por lá, como Gewurztraminer, Viura, Malvasia e Chardonnay, mas representam menos de 10% do cultivo. Os solos pedregosos e argilosos favorecem a produção de vinhos bastante intensos, encorpados, com alta graduação alcoólica e forte coloração.

Vinho Tinto Pieza el Coll Calatayud 2012 750 mL

La Mancha

Lar da uva branca mais cultivada no mundo, a Airén, La Mancha está localizada na Meseta Central. A abundância de solos ricos em calcário e verões quentes, de alta incidência solar, se fazem propícios à produção de vinhos encorpados, alcoólicos e que se transformam em grandes crianzas. A tradição vitivinícola é tão antiga na região que o povo costuma dizer que lá há vinho “desde sempre”. Miguel de Cervantes, em Dom Quixote, já fazia referências à produção de vinhos do local.

Região de La Mancha, na Espanha.

Almansa

Também representando a Garnacha na Espanha somada à Monastrell, Almansa está a 700 metros de altitude, a região mais oriental de Castilla La Mancha. Possui mais de sete mil hectares de vinhedos, divididos em oito parcelas de solo. Com verões que chegam a 40 graus, solos ricos em calcário e areia que possibilitam boa retenção de umidade, a região dá vida a vinhos intensos, além de boa estrutura. As vinhas são de baixo rendimento, com alta concentração de taninos, aromas e cor.


Por Carol Oliveira

Esta matéria fala sobre: